Olho para o céu, vejo pontinhos
de luzes a brilhar.
Na imensidão da solidão,
olho aquele infinito misterioso,
e vejo a lua a sorrir.

Vejo as estrelas, tão docemente,
no escuro do céu, a luzir.
Meu olhar fica a vagar,
apreciando e ouvindo o silêncio,
deste céu tão profundo e terno,
de tanta beleza, no ar.
Sinto neste esplendor de magia,
que a bela primavera vem chegando.
Sinto a leveza do vento, passar pelo meu rosto.
Vou seguindo a canção dos pastores do campo,
levando seus carneirinhos para alimentar.

Quero correr pelas belas flores,
sentir meus pés caminhando,
entre as petálas perfumadas de jasmin.
Vou, como uma borboleta, de flor em flor,
beijando todas as flores a sorrir.
E neste contento tão puro,
sinto a Paz do meu amor!

Maria Aparecida Macedo
"Maria Anjinha"