O Sapo e a Flor



Numa floresta muito grande e cheia de bichos,
habitavam várias famílias de animais.
Desde insetos e até mesmos leões com
suas leoas e filhotes.

Todos cuidavam de suas vidas e da
comida também.
Os macacos eram os mais alegres, pois estavam
sempre brincando e pulando de galho em galho,
como se fosse uma festa.

Os pássaros regiam a orquestra, pois entre tantos
gritinhos, urros e barulhos dos bichos parecia
mesmo uma grande orquestra.

Estava um dia o sapo tomando seu banho de sol,
quando ouviu que lhe dirigiam a palavra.
Logo abriu seus olhinhos procurando quem
com ele estaria falando!
Eis que vê uma linda flor cor-de-rosa
cheia de pintinhas...
Assim estava dizendo ela:
- Nossa que coisa mais feia!
Nunca vi um bicho tão feio!
- Que boca tão grande, que pele tão grossa...
- Parece até uma pedra, aí parada,
sem valor nenhum.

- Ainda bem que sou formosa, colorida
e até perfumada.
- Que triste seria ser um sapo!!!
O sapo que tudo ouvia ficou muito triste, pois
sempre que via a flor, pensava:
- Que linda flor, tão perfumada, que cores lindas,
alegra a floresta!
Mas a flor agora havia se mostrado dizendo
tudo aquilo do sapo.

De repente surge o gafanhoto saltitante e vê
a flor, mas não o sapo.
A flor, quando o percebeu, ficou tremendo
em seu frágil caule.
- Meu Deus, que faço agora?
Vocês sabem que o gafanhoto gosta de comer
as pétalas de qualquer flor que encontre,
e ela seria assim sua sobremesa...

O sapo, quietinho, quietinho, não se mexeu,
e quando o gafanhoto se aproximou
da flor, nhac...
o alcançou com sua língua.
A flor que já se havia fechado, pensando que
iria morrer, abriu-se novamente não
acreditando no que havia acontecido.

Mas dona árvore que desde o início a tudo
assistia, falou muito energicamente e
brava lá do seu canto:
- Pois é dona flor, veja como as aparências enganam.
Tenho certeza que a senhora gostaria mais do
elegante e magrinho gafanhoto.
No entanto, veja como ele teria sido tão mau
com a senhora!
Às vezes pensamos e dizemos coisas sobre nossos
semelhantes que não são verdadeiras.
Precisamos tomar muito cuidado com o que
falamos, sabe por que?

- Não - dizia a flor ainda tremendo de susto.
- Todos nos somos diferentes, de formas
diferentes, e até pensamos diferente.
- Você sabe que existem também
outras formas de se falar?
- Não. Não sabia - disse a flor espantada
com a sabedoria da árvore.
- Pois então minha pequena, da próxima vez que
for falar de alguém, pense antes, pois este
alguém poderia ser você.
- Agora agradeça ao seu amigo sapo o favor
que ele lhe fez, e também conte aos outros
o que aprendeu aqui hoje.

Com sua vozinha fraca a flor disse ao sapo:
- Meu amigo, você é, realmente, amigo.
Agradeço-lhe ter me salvado do gafanhoto e
prometo que nunca mais falarei de ninguém.
- Aprendi a lição e dona árvore me ensinou também.
Todos os bichos que estavam assistindo
bateram palmas.
E assim amiguinhos, aqui fica a lição:
somos todos iguais.
Existem bons e maus, mas podemos escolher
de que lado vamos ficar.....



(Marlene B. Cerviglieri )

 

 

 

Deixe seu recadinho....

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Webmaster e designer by Teka Nascimento
Copyriht© Teka Nascimento - 2009
Lençois Paulista-SP- BR
Todos os direitos reservados®