Dentro do meu casulo eu me encontro.
Amarrada, sem destino a seguir,
e, aqui ,tenho ficado.
Não consigo seguir em frente, nestes
momentos de angústia e desespero.

Quero sair sim, deste casulo...
ir ao encontro da minha vida, mal
vivida e sem motivação.
Vida que te quero viva, venha até
minh'alma, e me conduza para o meu viver...

Sairei voando, como uma borboleta,
indo em busca dos meus dias perdidos,
à procura do néctar da vida. E, assim,
flutuarei, no espaço, como uma flor, ou
mesmo, como uma borboleta, indo de
encontro a minha felicidade.

Quero chegar voando, alegre, deixando
tudo para traz, trazendo dentro do meu coração
toda a alegria roubada de um amor,
mal amado e amargurado.
Quero ser feliz, junto de um bem querer,
esperar a noite chegar e juntinhos
sob a luz do Luar, namorar eternamente.

Maria Aparecida Macedo