Ao cair da tarde, sentada embaixo
do meu flamboyant,
apreciando a beleza, numa singela
folha a cair pelo chão,
vejo o encanto desta natureza,
feita com tanto amor...

Ouço o barulho do riacho,
de águas cristalinas.
Ouço o cantar dos Pássaros,
alegrando a tarde que já está indo embora,
para uma noite começar...

Vejo alegria nas flores,
campos de mata virgem, lindos,
como o Sol e a Lua,
que sempre brilham, para irradiar,
e saudar um novo dia que virá,
para nos encantar, com o seu renascer,
de mais um dia a brindar
A CANÇÃO DA VIDA...

Maria Aparecida Macedo